Você está em:
Postado há 0000-00-00 00:00:00

MT - Mato Grosso cresce mais que o Brasil

Mato Grosso cresce mais que o Brasil. Esta é a conclusão sobre o resultado de um diagnóstico feito pela equipe técnica da Secretaria de Indústria, Comércio, Minas e Energia (Sicme). “O objetivo é ter dados reais sobre o desenvolvimento econômico de Mato Grosso. A partir de outubro vamos apresentar este raio x do Estado para investidores em potencial. Estes números mostram que Mato Grosso é um dos que apresentam a melhor performance econômica do Brasil. Tudo isso conta pontos a nosso favor e faz a diferença para quem pretende investir em nosso Estado”, enfatiza.O diagnóstico mostra que Mato Grosso é destaque quando se trata de Produto Interno Bruto (PIB). Entre os nove Estados da Amazônia Legal, Mato Grosso está em segundo lugar com um PIB de R$ 37.466.137 (bi) e uma renda per capita de R$ 13.125, perdendo apenas para o Pará que tem um PIB de R$ 39.150.461 (bi) e uma renda per capita de R$ 15.541. “A diferença é que o Pará tem uma população de cerca de sete milhões de habitantes e a de Mato Grosso é de apenas 2.854 milhões. Sendo assim, a renda per capita do nosso Estado é bem maior que a do Pará. Mais um ponto positivo para o Estado”, analisa Nadaf.De acordo com o Instituto Brasileiro de Estatística e Geografia (IBGE), em 1994 o Brasil tinha uma renda per capita de R$2.227,00 e o Mato Grosso ocupava o 11º lugar neste ranking com uma renda per capita de R$ 1.728,00. Em 2005, enquanto a renda per capita do Brasil foi de R$ 11.658,00, Mato Grosso subiu para o 6º lugar registrando uma renda per capita de R$ 13.365. “De acordo com as projeções que fizemos já estamos ocupando o 4º lugar neste ranking”, avisa o secretário.Já quando o assunto é Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), Mato Grosso também apresenta um número maior que o Brasil. Enquanto o Estado tem um índice de 0.773, o Brasil apresenta apenas 0.767. “Estamos buscando o IDH por município. Este é um dado importante tanto para o investidor, quanto para o poder público que pode orientar melhor os empresários que pretendem desenvolver qualquer tipo de negócio Estado”, destaca.O diagnóstico da Sicme mostra também a abertura de 100 mil novas empresas nos últimos cinco anos. Destas, pelo menos 84.387 foram no setor do comércio, 15.670 no de indústria e 2.861 na área rural. Das 100 mil empresas 683 foram incentivadas pelo Governo do Estado, sendo 366 pelo Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial (Prodeic), 297 pelo Fundo de Desenvolvimento Industrial e Comercial (Fundeic). Além destas, outras 214 buscaram recurso junto ao Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO). Ao todo, estas 877 empresas investiram no Estado cerca de R$ 6 bilhões e geraram pelo menos 310 mil empregos diretos e indiretos.Outro índice que mostra que Mato Grosso cresce mais que o Brasil é o embarque e desembarque de passageiros. Enquanto no Brasil houve um aumento de 43% de 2007 para 2008, Mato Grosso registrou um aumento de 70%. “São dados da Infraero que mostram que em 2007 houve muito mais turistas no nosso Estado. Isso gera emprego, renda e desenvolvimento”, avalia Nadaf.Outro dado que confirma que o desenvolvimento do Estado é maior que o do Brasil é o referente às exportações. No primeiro semestre de 2008, Mato Grosso cresceu 66% se comparado ao mesmo período de 2007. “A projeção que fizemos mostra que enquanto o Brasil cresceu 181.36% de 2007 para 2008, Mato Grosso deve crescer pelo menos 289.56% no mesmo período”, explica.Os setores de agropecuária, indústria e serviço também confirmam que Mato Grosso está em pleno desenvolvimento. Enquanto a agropecuária cresceu menos de 7% no Brasil e no Centro-Oeste, Mato Grosso registrou índices de crescimento de 14% entre 2003 e 2007. No setor industrial o Estado apresenta a mesma tendência neste período. Enquanto o Centro-Oeste e o Brasil apresentaram índices de crescimento menores que 4%, Mato Grosso registrou 7% de crescimento. No setor de bens e serviço não foi diferente. Enquanto o Brasil e o Centro-Oeste registraram menos de 3% de crescimento, o Mato Grosso alcançou os 5%. Sendo assim, no total Mato Grosso registrou um crescimento de 7% nos últimos cinco anos, pelo menos 3% a mais que o Centro-Oeste e o Brasil que registraram índices menores que 4%.O diagnóstico ainda revela dados sobre a produção e consumo de energia elétrica, usinas de biodiesel e vários outros dados relacionados ao setor de energia. O secretário também aproveitou para mostrar dados do setor mineral e da produção primária do Mato Grosso. “Somos destaque em pelo menos sete atividades relacionadas à agropecuária. Temos o maior rebanho comercial do Brasil com 26 milhões de cabeças e somos o maior produtor de soja”, destaca. “O Estado está vivendo um momento impar. Nosso crescimento pode ser comparado apenas ao dos Tigres Asiáticos que crescem em média 8% ao ano”, complementa.