Você está em:
Postado há . Atualizado há

2020 um futuro altamente seletivo

É altamente preocupante a situação social da geração em formação do Brasil, motivado por diversas variáveis

“Quando sua educação não lhe concede uma capacitação e qualificação antenadas com as mutações sociais, econômicas, políticas e tecnológicas e sua única solução e apelar para divindades, inexiste futuro promissor, lamento”. (Elenito Elias da Costa)

É altamente preocupante a situação social da geração em formação do Brasil, motivado por diversas variáveis que afetam a melhoria dos agravos sociais e que fatalmente elevarão os índices de insegurança.

A minoria que tem melhores condições educacionais vive numa sociedade decadente, onde a maioria luta para sobreviver, mesmo desempregada, com educação e saúde sem recursos e sem qualidade, com a economia em processo de melhorias, com eternas reformas que são maculadas para sua aprovação, não gerando os resultados positivos esperados, quer seja pelas alterações quer seja pelo o hiato temporal para sua positividade.

A atual educação em todos os níveis, hoje em curso no país, não consegue formar um profissional que tenha os mínimos valores e princípios necessários para adentrar no mercado laboral.

A busca de alternativas utilizadas por profissionais para suprir seu orçamento doméstico, denominado de subemprego, em decorrência da seletividade exigida no mercado laboral e mesmo o seu número reduzido, implica nessa opção indesejável desses profissionais.

O grande problema é que o Brasil tem riquezas naturais, terras férteis e mão de obra barata, mas com a Economia em reformas, e uma população se aproximando de 210 milhões de habitantes, com fragilidade educacional que possa gerar um profissional globalizado.

No mundo globalizado com gula capitalista, em pleno desenvolvimento progressista da Inteligência Artificial, automação, robotização através do uso da nanotecnologia, é incontestável o grande prejuízo que afeta aqueles profissionais despreparados.

A INDÚSTRIA precisa de produtividade, qualidade, e menores custos e despesas, eis o fato delas investirem na automação e robotização em substituição a Mão de obra humana e enfrentar a concorrência internacional, que usa tecnologia de ponta, eis um fato verossímil.

O mercado exige um Profissional antenado com as novas tecnologias e geralmente não está fácil encontrar tais profissionais, pois seu perfil difere do mercado atual.

Devemos entender que o ambiente atual exige formação antenada com o mercado atual e muitos ficarão pelo caminho, ou deverão optar por outras profissionais alternativas.

É leviano optar pelo EMPREENDEDORISMO sem uma base educacional profissional realista, que o atual sistema educacional ainda sofreu as alterações necessárias.

Apesar do reconhecido esforço do SEBRAE para educar o empreendedor, até ele sabe que a aprendizagem e conhecimento derivam de educação de qualidade com tempo e recursos necessários.

O EMPREGO no mercado laboral tem uma seletividade competitiva de conformidade com o perfil do mercado, e o sistema educacional ainda não está preparado para lhe conceder esse ágio, ou resultado positivo.

O INVESTIMENTO, qualquer que seja ele, mesmo com vantajoso ágio ou resultado positivo, implica numa Economia com base edificada, onde os sistemas econômicos se diferenciam, senão vejamos:

  1. Primário
  2. Secundário
  3. Terciário.

Entende agora, que o Brasil tem as COMMODITIES resultantes de uma Economia Primária, onde o AGRO é tech, é pop, mas não gera a riqueza social abrangente.

Qualquer INVESTIMENTO sob, taxas variáveis, com variabilidade de RISCO, mesmo que traga o ágio, nem sempre geram RESULTADOS SOCIAIS POSITIVOS, e haverá um momento que sua oscilação e volatilidade não vai lhe satisfazer, pois qualquer sistema onde há uma lateralidade dominante sempre esquece sua segmentação.

“A ideia de ser o celeiro do mundo, até agora não resolveu a nossa necessidade para estabilizar ou mesmo reduzir os agravos sociais.” (Elenito Elias da Costa).

“Uma Nação que se reúnem somente no CARNAVAL, ou no FUTEBOL, é idiotizada pelo sistema, e não busca melhorar, NÃO TERÁ FUTURO PROMISSOR.” (Elenito Elias da Costa).

A probabilidade temporal de prejuízos para essa geração é verossímil e a inexistência de tempo para sua adequação incapacitará o educando, onde buscará alternativas para sua sobrevivência.

Se seu Curso Superior não tem professores que:

  1. Não trabalham na área;
  2. Não escrevam artigos;
  3. Não publicam livros;
  4. Não são Palestrantes

Isso compromete o seu INVESTIMENTO.

Se o conteúdo programático das disciplinas do seu curso não tem:

  1. Habilidade;
  2. Competência;
  3. Eixo Prático;
  4. Criatividade;
  5. Relacionamento humano;
  6. Idiomas;
  7. Interdisciplinariedade;
  8. Tecnologia da Informação;
  9. Inteligência Artificial
  10. Programação em Computador

Lamento, seu INVESTIMENTO está sob deságio.

O ESTUDANTE que não lê, não estuda, não pode reclamar do seu futuro.

“Uma árvore só dará bons frutos se houver investimentos racionais e tempo para sua maturação”.

Peço desculpa as pessoas físicas ou jurídicas, instituições ou mesmo divindades que se sentirem tocadas pelo referido, é mera coincidência, pois acredito que um dia a realidade cobrará o resultado.

AUTOR: ELENITO ELIAS DA COSTA.

CompartilheNas redes sociais
Outros ArtigosDo dia 18 de February de 2020