Você está em:
Postado há . Atualizado há

Organizações virtuais e sem fronteiras

Para as grandes organizações, as herdeiras aparentes da pirâmide monolítica poderiam ser as unidades internas autônomas

Fonte: O Autor

Para as grandes organizações, as herdeiras aparentes da pirâmide monolítica poderiam ser as unidades internas autônomas. Quando utilizam essa estrutura, a administração divide a organização em unidades empresariais dotadas de seus próprios produtos, clientes, concorrentes e metas de lucro.

Em seguida, ela cria uma infraestrutura de medidas de desempenho, incentivos financeiros e sistemas de comunicação, voltada para o mercado, de forma que as unidades possam ser avaliadas tal como se fossem companhias independentes.

Às vezes chamadas de organizações em rede ou modulares, as organizações virtuais continuam pequenas e terceirizam suas funções maiores.

Essa estrutura altamente centralizada limita a departamentalização. Uma vez que os indivíduos e pequenas companhias se reúnem em uma base projeto a projeto, cada projeto pode dispor de pessoal de acordo com suas demandas.

Além disso, as despesas burocráticas e os riscos e custos de longo prazo são minimizados. As organizações virtuais são flexíveis, mas limitam o controle da administração sobre componentes-chaves de seu negócio.

Esse método minimiza a cadeia de comando, limita as margens de controle e substitui os departamentos por equipes com poder de decisão.

Equipes inter-hierárquicas, práticas de decisão participativa e avaliações de desempenho de 360 graus desmantelam as fronteiras verticais.

Equipes interfuncionais, atividades organizadas em torno de processos, transferências laterais e rotação de pessoal rompem as barreiras horizontais. Globalização, alianças estratégicas, elos organização-cliente e tele comutação superam as barreiras externas.

A organização sem fronteiras é possível graças aos computadores em rede que agilizam a comunicação, rompendo fronteiras intra e inter-organizacionais.

Robson Paniago é doutor em Ciências Empresariais, mestre em Administração, especialista em Marketing e graduado em Administração. Atualmente é coordenador do curso de Administração da Faculdade Max Planck e professor da IBE-FGV. É sócio-diretor da www.portalconsultee.com e da www.cecapivari.com.br e agente autônomo de investimento, palestrante, escritor, poeta e articulista.

CompartilheNas redes sociais
Outros ArtigosDo dia 15 de December de 2015