Você está em:
Postado há 0000-00-00 00:00:00

Receita Federal desconhece proposta de prazo maior para recolher impostos

..

A Secretaria da Receita Federal desconhece a existência de qualquer pedido do governo sobre simulações para estender o prazo de recolhimento de tributos federais, informou nesta quarta-feira (29) a comandante do Fisco, secretária Lina Vieira. Questionada se o prazo aumentaria, assunto que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta terça-feira (28) que estava sendo estudado, Lina afirmou que não sabia."A Receita ainda não foi demandada pelo ministro em relação a esse assunto. Não analisamos. Estamos com outras preocupações. Não vimos isso ainda", disse a jornalistas nesta quarta, após reunião na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados. Acrescentou que, qualquer alteração que eventualmente for feita no prazo de recolhimento dos impostos, terá impacto na arrecadação federal. Mas repetiu que nenhuma demanda a esse respeito foi feita ao Fisco.IOF para créditoA secretária da Receita negou, igualmente, que haja qualquer estudo no órgão para reduzir, ou retirar, o Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF) das operações de crédito - o que poderia ser feito, teoricamente, por conta da desaceleração da concessão de crédito no Brasil por causa da crise financeira internacional. "Não temos nenhuma demanda ainda. Todos os estudos estão sendo feitos na área econômica do governo, no Banco Central, para essas medidas de maior impacto", se limitou a dizer Lina Vieira.Carga tributáriaInterpelada se a estimativa da Receita Federal, que é divulgada anualmente pelo órgão, apontaria para um aumento da carga tributária em 2007 - conforme apontam estimativas de analistas - Lina Vieira sequer sabia sobre essa divulgação. "A Receita divulga essa carga?", perguntou a um auxiliar. Após ser informada de que o Leão divulga todos os anos esta análise, ela afirmou que, se houver aumento, é importante verificar quais setores estariam pagando mais tributos. "Pode ser que em alguns setores esteja maior, e em outros, menor. Essa análise a Receita ainda não fez", concluiu a secretária da Receita Federal, que assumiu o posto no final de julho.