Você está em:
Postado há . Atualizado há

Dia da criança nordestina

O nordeste brasileiro soma nove estados, mas padece de políticas públicas, que possam conter os agravos sociais dessa região.

O nordeste brasileiro soma nove estados, mas padece de políticas públicas, que possam conter os agravos sociais dessa região.

No Brasil inteiro vivemos com a CRISE ECONÔMICA, mas no nosso caso temos outra mais grave ainda a CRISE HÍDRICA, que agregada ás demais, e que nos força a sobreviver com essas ameaças.

Sem uma Educação de qualidade, mas com muita criatividade e humor, estamos convivendo com esse fato.

Sem uma Saúde de qualidade, que leva para outro plano muitos de nossas crianças e adultos.

Sem Infra-estrutura, para que possa embasar nosso progresso, vivemos em constante anseio emocional.

Sem Emprego, nos força a buscar alternativas mercadológicas para que possamos sobreviver.

Com muita FÉ em Deus, passamos a conviver com diversas adversidades que nos aflige cotidianamente.

Com discutível futuro promissor, diante da ausência de investimentos que possibilitem essa positividade, continuamos na luta pela sobrevivência.

Com as Reformas Governamentais elevam o nosso desafio em continuar sobrevivendo.

Dizem que a ausência de Ética, valores, princípios, honra personalidade caráter, agrava a situação do Brasil, mas entendemos que o que falta é patriotismo e amor ao Brasil, pois não há sociedade mais sofrida que a nordestina.

Com a possibilidade de geração de um Exército de famintos e mal nutridos, procuramos conviver com essas diferenças.

A realidade com que vivem essas crianças furta-lhe a possibilidade de pensar em PRESENTE no Dia das Crianças, pois se contentaria se seus genitores tiverem emprego, e sabe muitos desejam trabalhar também mesmo ciente da transgressão legal, se tiverem água para conter a sede, e se tiverem alimento para saciar a fome, já podem se comparar ao Dia das Crianças das outras regiões.

Muitas crianças nordestinas vão á escola estudar e aprender a sobreviver, pois atualmente a nossa melhor professora é a Tia da Cozinha, haja vista a nossa situação, já que não tivemos a mesma sorte de uma criança chamada Michelzinho.

Sabe, leitor, como criança não consigo entender essas diferenças, já que ainda estamos vivos e a nossa Constituição Federal nos considera como cidadães brasileiros e acho que deveriam ter análogo tratamento.

Sabe leitor se nesse dia da criança, pudéssemos ter um emprego, água e alimento já é suficiente, pois o BRINQUEDO é coisa de criança que não podemos dar ao luxo de ser.

Acho que não temos educação e cultura suficiente para entender o significado da palavra DISCRIMINAÇÃO, talvez seja por isso que fazemos humor, e o Governo estadual nos apresenta o Presidente Xi Jipping, como salvador da pátria.

É estranho que investidores estrangeiros venham ao Nordeste e consigam investir e obter o ágio do seu investimento, enquanto que muito não tem a mesma idéia, mas me contento com essa situação desde que façam a diferença no futuro que se avizinha.

Entendo que nossa força está na nossa Fé que um dia isso tudo poderá mudar, mas preciso estudar e trabalhar, e se possível me alimentar.

Na escola dizem que é importante aprender INGLÊS, mas na realidade acho melhor aprender MANDARIM, HAKA, CONTONÊS, OU CHICHUANÊS, para ter oportunidade no futuro.

Todas essas adversidades realistas nos ensinam que a MUDANÇA é a única palavra importante para nossa sobrevivência.

Autor: ELENITO ELIAS DA COSTA, só um vovô pensante.

CompartilheNas redes sociais