Você está em:
Postado há 0000-00-00 00:00:00

Transparência dos demonstrativos contabeis e financeiros

“NÃO É O QUE NÃO SABEMOS QUE NOS CAUSA PROBLEMAS, MAS AQUILO QUE SABEMOS QUE NÃO É”.(W. Rogers).

Em nosso novo cenário economico em que convivemos com a recuperação da crise economica, inovações tributárias, trabalhistas, comerciais, volatilidades, oscilações cambiais, investidores, financiadores, capitalistas, neoliberais, parceiros, fundos, capital especulativo, capital com responsabilidade social e ambiental, fusão de empresas, alienação de empresas, aquisições de empresas, e a sobrevivencia das empresas nos deparamos com as inovações necessárias para manter a continuidade e sustentabilidade do empreendimento, onde dentre elas, temos obrigatoriamente a leitura e analise dos DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS E FINANCEIROS de modalidade periodica, onde possamos depurar e avaliar se as estratégias empregadas pelo planejamento empresarial estão se perpetuando ou não, através do exercício licito e probo da contabilidade e seus derivativos.

 

“NÃO É O QUE NÃO SABEMOS QUE NOS CAUSA PROBLEMAS, MAS  AQUILO QUE SABEMOS QUE NÃO É”.(W. Rogers).

 

Em todos os meus artigos e livros publicados, sempre tive o habito de ressalvar a importancia da capacitação e qualificação dos profissionais envolvidos no exercicio laboral da assessoria e consultoria empresarial através da contabilidade e seus demonstrativos, pois é muito comum essa dicotomia ilusionista na busca de PARECER em vez de buscar o SER transparente, pois acredito que somente assim podemos atingir o objetivo da ciência.

Acredito que não podemos nivelar por baixo a busca da necessidade de uma educação continuada com qualidade, ela deve ser infinita e diuturna, onde a limitação dos himenopteros (ordem de insetos que apresentam metamorforse completa e peças bucais mastigadoras ou sugadoras, representada pelas formigas, abelhas e vespas) não pode alcançar, haja vista a distancia que os separa dos profissionais globalizados.

Depende única e exclusivamente de sua opção e estratégia que deseja para que o novo cenário economico possa inserir a sua empresa num ambiente diferente e adequada as novas condições do mercado.

É oportuno lembrar que diante desse novo cenário é factivel se perguntar:

TENHO OS RECURSOS E PROFISSIONAIS NECESSÁRIOS PARA ESSA TRANSIÇÃO?

Em meio a diversas variáveis e justificativas que possamos ostentar, sempre acredito que a veracidade dos fatos vorazmente demonstrada tem mais importancia para a gestão e demais usuários da informação, que quaisquer aplicações de um ludico temporal que mais dia ou menos dia vira a tona á verdade dos fatos, pois devemos entender que a única coisa constante nesse novo conário economico é a mudança.

A história nos ensina, mas mesmo assim continuamos a não entender os fatos históricos como exemplo de fatos futuros, ou seja, a maxima de que na natureza tudo se transforma ou se copia, se equipara diante da inexistencia de valores individuais que norteiam determinadas gestões empresariais, e lamentavelmente inviabiliza economicamente recursos e sonhos.

A manutenção ou a contratação de profissionais capacitados e qualificados para o acompanhamento e execução dos serviços de assessoria e consultoria contábil é parte integrante na busca da exigencia desse novo planejamento estratégico motivado pela existencia desse novo cenário economico, que lamentavelmente a maioria das empresas ainda não assimilou.

A confiança, ou a falta dela é uma questão cada vez mais importante nas organizações hoje em dia, ou seja, o autor Sthephen P. Robbins em seu livro Comportamento Organizacional, define como:

“CONFIANÇA é uma expectativa positiva de que a outra pessoa não ira agir de maneira oportunista, seja por palavras, ações ou indecisões. Havendo dois elementos implicitos nessa definição que são:  FAMILIARIDADE  e RISCO”.

A expectativa positiva assume o conhecimento e a familiariedade entre as partes, a maneira oportunista se refere ao risco e a vulnerabilidade inerente a qualquer relação de confiança. A confiança não significa propriamente, arriscar-se, ela é, principalmente a disposição de assumir um risco.

Segundo o referido autor ha cinco evidencias básicas que dimensionam e fundamentam o conceito de confiança, quais sejam:

a)      INTEGRIDADE se refere à honestidade e a confiabilidade;

b)     COMPETENCIA engloba as habilidades e conhecimentos técnicos e interpessoal do individuo;

c)      CONSISTENCIA está relacionada a segurança, previsibilidade e capacidade de julgamento que uma pessoa demonstra nas situações;

d)      LEALDADE é a disposição de proteger e defender uma outra pessoa;

ABERTURA quando voce  acredita que uma pessoa tem total confiança em voce.

Sabemos da importancia dos valores individuais que devem possuir os assessores e consultores empresariais, além de sua competencia e qualificação profissional, diante dessas variaveis podemos entender  que somente poderá agregar valor à gestão empresarial, aqueles que demonstram tais caracteristicas, caso contrário teremos um ilusionista fantasiado de profissional.

O prejuízo causado pela incompetencia resultou na crise de 1929 e as demais, inclusive a ultima, ceifando empresas, empregos, investimentos, sonhos e vidas, e ACREDITE ainda não aprendemos, só que a cada CRISE que se apresenta ela parece mais robusta e resistente, e acontece em curto espaço de tempo, inclusive a PROXIMA.

Em consonancia ao titulo de presente artigo, podemos concluir que a transparencia nos demonstrativos contábeis e financeiros representa condição essencial para a continuidade e sustentabilidade da atividade empreendedora, pois o crepusculo, lua nova, eclipse e amanhecer, é uma sequencia racional e lógica dos fatores que positivam as ações através de seu retorno operacional dos investimentos.

ELENITO ELIAS DA COSTA

Contador, Auditor, Analista Econômico Financeiro, assessor e consultor empresarial, Instrutor de Cursos do SEBRAE/CDL/CRC, Professor Universitário, Professor Universitário Avaliador do MEC/INEP do Curso de Bacharelado em Ciências Contábeis, sócio da empresa, Irmãos Empreendimentos Contábeis S/C Ltda, consultor do Portal da Classe Contábil, Revista Contábil Netlegis, articulista da Interfisco, autor de artigos cientificos publicados no Instituto de Contabilidade do Brasil, CRCBA, CRCPR, CRCMS, CRCRO, IBRACON (Boletim No. 320), CTOC - Portugal, autor de livros editados.

 

CompartilheNas redes sociais
Outros ArtigosDo dia 26 de October de 2009