Você está em:
Postado há . Atualizado há

3 dicas para evitar o burnout na sua empresa

Líderes têm um papel fundamental quando o assunto é clima organizacional, um dos principais fatores ligados à síndrome do burnout

Isolamento, faltas constantes, irritabilidade, ansiedade e exaustão. Esses são apenas alguns sintomas da chamada síndrome de burnout, que está sendo cada vez mais discutida dentro dos ambientes corporativos.

Segundo a autora Jennifer Moss, especialista em clima organizacional, há uma tendência de que o fenômeno do burnout seja encarado como um problema individual, facilmente solucionado a partir da tomada de determinadas atitudes, como dizer não e praticar ioga. Mas a síndrome tem muito mais a ver com o ambiente corporativo do que com fatores individuais.

As consequências do burnout se refletem diretamente na empresa. De acordo com um levantamento feito pela Gallup em 2018 com 7.500 trabalhadores em tempo integral, 63% dos que sofrem com a síndrome provavelmente tirarão um dia de licença médica no trabalho, e as chances de que busquem um outro emprego são 2,6 vezes maiores.

A boa notícia é que é possível se prevenir contra o burnout. O empresário Ayetekin Tank listou no portal Entrepeneur três medidas que podem ser tomadas para evitar que esse mal tome conta do negócio. Confira:

1. Questione-se sobre os problemas da empresa

Um dos papéis do líder é ter certeza de que tudo esteja funcionando para que a organização obtenha bons resultados. Em um artigo para a Harvard Business Review, Jennifer Moss aponta que, quando há a expectativa implícita de que os colaboradores trabalhem para entregar resultados independentemente de qualquer coisa -- neste caso, suas condições mentais e físicas -- ,as chances de sofrerem com a solidão são maiores. Isso acontece pois os funcionários acabam trabalhando de forma padronizada e remota, não havendo clima para que estabeleçam uma rede de relacionamentos.

Para evitar isso, os empreendedores devem enfrentar algumas questões: o que está faltando no ambiente de trabalho para que haja progresso na equipe? O que posso fazer para que p lugar se torne mais saudável e feliz? Estou dando mais valor aos meus produtos ou aos meus funcionários? Essas são dúvidas iniciais que podem fazer toda a diferença.

2. Combata o mal pela raíz

Uma vez que identificado o que pode estar levando os funcionários a terem que lidar com o burnout, o líder deve agir para que o problema seja sanado. É como diz o ditado: é melhor prevenir do que remediar. Não espere que o colaborador queira se demitir para tentar mantê-lo na empresa.

Um clima organizacional saudável não está ligado a ping-pong nos horários de almoço ou pizzas durante o expediente. Uma das formas de fazer com que seu funcionário se sinta bem na empresa é permitindo que tenha horários flexíveis e tire dias de folga, assim ele não se sentirá sobrecarregado e voltará mais relaxado às atividadades.

Outra maneira é estabelecer a comunicação. De acordo com a pesquisa da Gallup, aqueles que se sentem apoiados e amparados pela empresa têm 70% menos chances de apresentar sintomas do burnout. Crie uma cultura no qual os trabalhadores possam conversar com você sobre preocupações e questões da empresa.

3. Escute seus funcionários e tome providências

Ainda falando sobre comunicação, pratique o ato de perguntar o que os colaboradores precisam. Seja sobre um pequeno problema com a máquina de café da empresa ou questões maiores, eles precisam saber que são valorizados e ouvidos no local onde trabalham. Isso assegura que se sintam amparados e acolhidos.

Perguntas que você pode fazer a si mesmo: "Minha equipe conta com os recursos necessários para que possam trabalhar? Onde eles acham que os investimentos podem ser feitos? O que poderia contribuir para tornar o clima mais confortável para o time?". Uma vez que esteja com as respostas em mãos, é hora de agir. Deixe que vejam e que saibam que seus anseios e questões estão sendo atendidos.