Você está em:
Postado há 0000-00-00 00:00:00

Inadimplência do consumidor deve subir ainda neste semestre, diz Serasa

Segundo os analistas da Serasa, o resultado indica que a atual tendência de queda de inadimplência das pessoas físicas deverá perder força em breve, antes do final deste semestre.

De acordo com o Indicador Serasa Experian de Perspectiva da Inadimplência, divulgado nesta segunda-feira (15), o nível de inadimplência dos consumidores deve encerrar a fase de desaceleração ainda neste semestre.

 

De acordo com o estudo, em janeiro, a perspectiva de inadimplência do consumidor para os próximos seis meses apresentou aumento de 1,5%, a quinta alta seguida, com o índice chegando a 98,7.

Segundo os analistas da Serasa, o resultado indica que a atua ltendência de queda de inadimplência das pessoas físicas deverá perder força em breve, antes do final deste semestre.

Endividamento acelerado

Para os técnicos da Serasa, o aumento do endividamento do consumidor, observado durante o segundo semestre do ano passado, e a “corrosão” do poder de compra influenciado pelo aumento da inflação no início deste ano são os principais fatores para a perspectiva de aumento da inadimplência.

Além disso, os analistas também enxergam um esgotamento dos efeitos do nível de emprego sobre a inadimplência, que também deve contribuir para que haja uma interrupção da trajetória de queda dos índices.

Outro fator que deve influenciar na reversão do cenário atual é o aumento dos custos dos financiamentos em várias modalidades de crédito para as pessoas físicas.

Normalidade

Os técnicos da instituição ressaltam, porém, que o fato de o indicador estar abaixo de 100 sinaliza que a estabilização do endividamento deverá alcançar um patamar de normalidade.

Isso significa que, para 2010, mesmo que ocorra aumento da inadimplência, ela não prejudicará a expansão do crédito. 

Sobre a pesquisa

Os indicadores Serasa Experian de Perspectiva da Inadimplência dos Consumidores avalia, em um horizonte de seis meses, em que fase do ciclo estarão várias variáveis econômicas, como concessões reais de crédito, inadimplência, crise e recuperação.

 

CompartilheNas redes sociais