Você está em:
Postado há 0000-00-00 00:00:00

Profissionais que utilizam muito o computador podem desenvolver fotofobia

O médico explica que o agente casual da fotofobia não é o computador, mas a permanência excessiva do profissional diante do monitor faz com que a doença se manifeste.

Fonte: InfoMoney

Luana Cristina de Lima Magalhães

 Os profissionais que precisam passar horas em frente a um computador podem colocar a sua saúde em risco. De acordo com o médico oftalmologista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, Wilmar Silvino, a fotofobia, hipersensibilidade à luz, além de provocar desconforto, pode trazer enxaqueca.

O médico explica que o agente casual da fotofobia não é o computador, mas a permanência excessiva do profissional diante do monitor faz com que a doença se manifeste. Além disso, a fotofobia pode ocorrer devido a alterações do sistema ocular e de outros sistemas. Essas alterações, podem ser, por exemplo, dores de cabeça frequente, noites com sono descontrolado, uso de óculos inadequados e a execução de atividades que exigem atenção ocular para perto.

Silvino explica ainda que com esforço em frente à tela do monitor, a pessoa pisca menos, o que diminui a lubrificação dos olhos. "Piscando menos, os olhos ficam secos por evaporação excessiva da lágrima".

Essa doença, segundo o oftalmologista, pode, de maneira geral, comprometer a rotina do profissional, impedindo-o de dirigir, caminhar durante o dia, tomar sol, assistir televisão e trabalhar em frente à tela do computador.

Prevenção

A partir de alguns cuidados simples, os profissionais podem prevenir a fotofobia:

  • Fazer descanso de dez minutos a cada uma hora de trabalho;

     

  • Não colocar o monitor em uma posição que alguma janela fique de frente para o olhar;

     

  • Usar o monitor do computador abaixo da linha do horizonte de visão;

     

  • Pessoas com predisposição à doença devem usar colírios ou umidificar o ambiente;

     

  • Manter uma distância de 50 centímetros da tela do monitor;

     

  • Caso use lente de contatos é preciso fazer uma lubrificação extra dos olhos.
Tratamento

O tratamento dessa doença é variável, pois depende dos motivos que desencadearam essa doença. Nos casos originados a partir de doenças, o médico recomenda tratar o quanto antes. No entanto, há casos em que não há nenhum tipo de doença e sim um excesso de sensibilidade.

"Quando isso acontece é fundamental que a pessoa se habitue à claridade ou utilize lentes/óculos contra a claridade", aconselha o médico.