Você está em:
Postado há 0000-00-00 00:00:00

Contribuinte nunca deixou de entregar o IR por erro do sistema

Mas quem deixa para a última hora precisa ter atenção redobrada para não errar no preenchimento por causa da pressa.

Vitor Casimiro, auditor da Receita Federal

- O Estado de S.Paulo

ENTREVISTA

Na reta final do prazo para a entrega da declaração do Imposto de Renda, Vitor Casimiro, auditor fiscal da Receita Federal, afirma ao Estado os tópicos aos quais o contribuinte deve estar mais atento na hora de preencher as informações.

Quem deixar para entregar a declaração no último dia corre o risco de encontrar o sistema congestionado?

Um contribuinte nunca ficou sem entregar a declaração por algum erro do nosso sistema. Não acredito que isso ocorrerá neste ano. Mas quem deixa para a última hora precisa ter atenção redobrada para não errar no preenchimento por causa da pressa. Lembro que quem ultrapassar o prazo pagará multa pelo atraso.

Quais pontos o contribuinte deve ter mais atenção no preenchimento?

Todo o formulário da declaração exige atenção na hora do preenchimento. Mas os dois pontos mais importantes são os rendimentos e os gastos dedutíveis. Erros nesses tópicos são os motivos que mais levam pessoas para a malha fina.

No campo dos rendimentos, o que o cidadão não pode esquecer? E nos gastos dedutíveis?

Não se pode errar ou omitir rendimentos nem do declarante nem dos dependentes, mesmo que a renda do filho, por exemplo, seja um salário de estágio. Ao declarar gastos dedutíveis, como os médicos, por exemplo, sempre o contribuinte precisa ter um comprovante de que aquela consulta ocorreu. Isso porque, se ele cair na malha fina, terá como mostrar à Receita que o custo é verdadeiro.