Você está em:
Postado há 0000-00-00 00:00:00

Consultoria calcula benefícios da nova tabela do IR no bolso do contribuinte

Em vigor desde o dia 1º de janeiro, a nova tabela progressiva do Imposto de Renda, agora com quatro faixas tributáveis

Fonte: InfoMoney

Patricia Alves

Em vigor desde o dia 1º de janeiro, a nova tabela progressiva do Imposto de Renda, agora com quatro faixas tributáveis, é considerada, entre as medidas tomadas pelo governo brasileiro para amenizar os efeitos da crise para os contribuintes, a mais benéfica, de acordo com a consultoria Ernst & Young, que comparou as medidas anticrise do Brasil, Peru, Chile, Argentina e Equador.

A medida, anunciada pelo Governo em dezembro último, tinha o objetivo de desonerar o contribuinte e estimular o consumo. Segundo cálculos da consultoria, anualmente, o benefício da nova tabela pode variar de quase 50%, entre os rendimentos até R$ 2.000, a cerca de 11%, para rendimentos acima de R$ 5.000.

Benefícios

Confira, na tabela abaixo, o impacto das novas regras do IR no bolso do contribuinte:

RendimentoIR Anual

(regra antiga)

IR Anual

(nova regra)

Benefício
R$ 1.000---
R$ 2.000R$ 1.102,53R$ 551,3349,99%
R$ 3.000R$ 3.269,24R$ 2.485,0823,99%
R$ 4.000R$ 6.844,24R$ 5.681,7821,73%
R$ 5.000R$ 10.419,24R$ 9.256,7811,16%

Entenda a mudança

Para aliviar a carga fiscal e beneficiar, principalmente, o trabalhador que ganha até R$ 1.500, no dia 11 de dezembro o governo anunciou a criação de duas alíquotas intermediárias na tabela progressiva do Imposto de Renda, totalizando, com as duas existente, quatro faixas tributáveis, além da faixa de isenção.

Na ocasião, o ministro da Fazenda, Pedro Mantega, revelou que o reajuste da tabela, feito anualmente, seria mantido em 4,5%.

Assim, desde 1º de janeiro de 2009, as faixas de tributação passaram a incidir da seguinte forma:

  • isenção - rendimentos até R$ 1.434,59
  • 7,5% - rendimentos de R$ 1.434,60 a R$ 2.150
  • 15% - rendimentos de R$ 2.150,01 a R$ 2.866,70
  • 22,5% - rendimentos de R$ 2.866,71 a R$ 3.582
  • 27,5% - rendimentos acima de R$ 3.582