Você está em:
Postado há 0000-00-00 00:00:00

Banco do Brasil reduz em mais de 4,6% taxas de juros para crédito de empresas

O Banco do Brasil reduziu em mais de 4,6% os juros de linhas de crédito para empresas. As novas taxas começam a valer a partir desta quinta-feira (5), de acordo com a Agência Brasil.

Fonte: InfoMoney

Karin Sato

 

O Banco do Brasil reduziu em mais de 4,6% os juros de linhas de crédito para empresas. As novas taxas começam a valer a partir desta quinta-feira (5), de acordo com a Agência Brasil.

"A medida está alinhada com a estratégia do Banco do Brasil de repassar gradualmente a redução de custo de captação para os preços das operações de crédito", segundo declaração da própria instituição.

Novos juros

Confira as taxas agora praticadas pelo BB:

ProdutoTaxa anterior (% ao mês)Taxa atual (% ao mês)
Conta garantida1,7681,685
Capital de giro pré1,7861,703
Capital de giro Pré-Exportação1,7861,703
Finbens1,7681,685
BB Giro Empresa Flex1,6581,576
BB Giro Empresa Flex Lib. Estruturada1,7861,703

Além do Banco do Brasil, o Banco do Nordeste havia anunciado a redução das taxas de juros cobradas em suas operações financeiras. A medida, que já está em vigor, beneficia tanto empresas quanto usuários do microcrédito da instituição, o Crediamigo.

Corte do spread

Por determinação do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, as instituições financeiras públicas devem praticar taxas de juros cada vez menores. Quanto aos bancos privados, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou esta semana que estão sendo elaborados estudos de corte do spread.

Para o diretor de Administração do Banco Central, Anthero Moraes Meirelles, o que pôde ser feito de imediato pela autoridade monetária contra o aumento do spread foi facilitar a comparação de taxas de juros cobradas pelas instituições financeiras, para que os clientes bancários possam fazer escolhas.

Dessa forma, a partir desta quinta, o BC disponibiliza em sua página eletrônica (www.bcb.gov.br) uma tabela onde poderão ser consultados os valores médios das taxas de juros cobradas no cheque especial dos principais bancos do país.

Sobre o spread

O spread tem sido apontado por sindicalistas e entidades empresariais como o principal motivo do encarecimento do crédito frente à crise mundial.

Trata-se da parte variável entre o que os bancos pagam na captação de recursos e o que cobram na concessão do empréstimo, levando em consideração impostos e os lucros das instituições financeiras.