Você está em:
Postado há . Atualizado há

Feedbacks: você abraça ou corre deles?

Feedbacks, tanto positivos quanto negativos, são uma grande oportunidade para evoluirmos cada vez mais

Ah, os feedbacks… Um termo tão simples, mas que causa tantas sensações diferentes. Há quem tem medo de recebê-los e se treme todo só de pensar em precisar ouvi-los. Reuniões de feedbacks com os chefes são o seu maior pesadelo. Afinal, vai que escutam alguma coisa negativa sobre o seu trabalho?! Eles passam longe de situações assim!

Mas existem algumas pessoas, por outro lado, que são completamente receptivas e tem uma grande vontade de escutar feedbacks de quem estiver com vontade de dizer. Elas enxergam os feedbacks, sejam eles positivos ou não, como uma forma de melhorar o seu desempenho, de perceber alguns pontos que não conseguiriam enxergar sozinhos. Assim, conseguem evoluir cada vez mais.

Eu sou uma dessas pessoas. Eu amo receber feedbacks e estou aberta a escutar o que qualquer pessoa tem a me dizer. Mas preciso confessar que nem sempre foi assim, já tive muito medo.

Nas últimas semana, inclusive, passei por isso. Uma querida mulher de um grupo que participo veio conversar comigo e perguntou se poderia me dar alguns feedbacks sobre o trabalho que eu estava fazendo ali. Eu não me senti nem um pouco amedrontada e nem receosa com o que ela queria me dizer e, claro, aceitei ouvir suas considerações.

Sou tão aberta para receber feedbacks porque vejo que as pessoas que os falam, na maioria das vezes, querem nos ajudar. E isso é muito importante! Elas se colocam em uma situação de risco (de encontrar alguém que não gosta de receber feedbacks e essa pessoa ficar ofendida, atrapalhando a relação existente) porque acham que esse risco vale a pena. Elas se preocupam, querem nos ver melhorando cada vez mais naquilo que fazemos e sabem que sua percepção pode nos ajudar.

Eu vejo os feedbacks como um gesto de carinho e fico extremamente grata quando alguém tem alguns para me dizer. Esse último feedback que recebi, por exemplo, foi excelente! Vi que fazia muito sentido e que eu precisava, de fato, melhorar aqueles pontos que ela abordou.

Mas e se aquele feedback não fizesse sentido? Bom, eu agradeceria do mesmo jeito. A pessoa teve uma boa intenção e seu gesto foi positivo. E se fosse feito por uma pessoa que não gosta de mim e não queria o bem ? Não ligaria, sorria e seguiria a adiante meu caminho. Neste caso vale a pena parar um pouco e rezar para que nosso anjo da guarda continue nos protegendo de todo mal. Mas não vamos gastar nosso tempo falando deste tipo de gente.

Por isso, eu costumo dizer que os feedbacks são presentes. Pense no seu aniversário: as pessoas que gostam de você costumam te presentear. Elas pensam naquele presente, procuram algo que você vá gostar e têm grande intenção de te agradar com aquilo.

Algumas vezes, as pessoas acertam em cheio. Te presenteiam com aquilo que você realmente precisava ganhar. Mas também existem situações nas quais o presente não é tão útil assim e muito menos se parece com você …

Quando isso acontece, o que você faz? Abre um sorriso e agradece do mesmo jeito! Você fica grata pela pessoa ter feito aquele gesto de carinho, ter se importado com você. O que você vai fazer depois com aquele presente que não vai ter servir ou não te agradou, você decide. Você pode repassar para alguém ou, quem sabe, guardar para quando surgir uma oportunidade de usá-los, vender, reciclar, sei lá. Poderá fazer mil coisas, só não pode ficar mal porque ganhou algo que não te serve.

Fique feliz, siga seu caminho, guarde somente o que te faz bem, faz crescer e evoluir. Lembre-se sempre: feedbacks são sempre importantes, mas ninguém te conhece melhor que você mesma para avaliar se aquilo te serve ou não. Eles sempre vão te enviar algo ou te mostrar quem não tem nada a te acrescentar e você deve se afastar..

Com os feedbacks o raciocínio deve ser o mesmo dos presentes de aniversário. Então, quando a vida trouxé-los para você, sorria e agradeça. Depois você decide se vai usá-los ou não, mas não tenha medo de recebê-los e nem coloque impedimentos para que as pessoas te falem o que elas têm a fizer. Esteja sempre aberta a ouvir.

Feedbacks, tanto positivos quanto negativos, são uma grande oportunidade para evoluirmos cada vez mais. Então não os dispense!