Você está em:
Postado . Atualizado à

5 formas de lidar com a inveja que sentem de você no trabalho

Em todo ambiente de trabalho pulsam "dores de cotovelo". Mas há formas simples e humanas de aplacar o ciúme dos demais pelas suas vitórias

Seres humanos são naturalmente invejosos, a começar por você. Quem for sincero consigo mesmo vai reconhecer que já experimentou o sentimento pelo menos uma vez na vida — ainda mais no ambiente de trabalho.

De acordo com Mireia Las Heras, professora da IESE Business School em Barcelona, não existe empresa em que não pulsem as famosas “dores de cotovelo”. “Seria tão utópico quanto um mundo completamente livre de mentiras e sofrimentos”, diz ela.

Certos comportamentos do empregador podem estimular a inveja entre os funcionários, tais como a oferta de privilégios injustificados para alguns ou políticas de bonificação que incentivem relações altamente competitivas.

Por outro lado, empresas que praticam regras justas e valorizam o trabalho coletivo suavizam o problema, mas nunca se livram totalmente dele.

Do limão à limonada

Já que a grama do vizinho sempre será mais verde na cabeça de algumas pessoas, o jeito é tentar aproveitar esse sentimento de alguma forma produtiva para a carreira de todos.

É claro que sofrer pela felicidade alheia nunca será bom, diz Las Heras, mas a inveja pode ser transformada em combustível emocional para lutar por conquistas iguais ou similares. “Observar o sucesso do outro pode nos conscientizar de que é possível chegar àquele objetivo, porque alguém já conseguiu”, explica ela.

Para Adriana Gattermayr, coach e consultora da Gattermayr Consulting, a inveja saudável leva o nome de “ambição”: ela não pressupõe que o outro perca o que conquistou para que você alcance o que deseja.

“Há um lugar ao sol para todo mundo e, se você acha que não há, invente um”, diz ela. “Não mire a inveja no outro, mas sim em você”. A ideia é ter ciúmes e correr atrás daquele que você poderia ser, mas ainda não é.

Admitir que você também sente inveja às vezes — e aprender a administrá-la — facilita a sua vida quando o mesmo sentimento é direcionado a você. “Quanto mais conhecemos a nós mesmos, mais fácil fica conhecer os demais”, resume Las Heras. “Ao gerir as nossas próprias ambições, às vezes frustradas, entendemos melhor o que os demais podem sentir em situações similares”.

Veja a seguir outras estratégias para lidar com a inveja que os demais sentem de você no trabalho, de acordo com as especialistas ouvidas por EXAME.com:

1. Valorize a contribuição dos outros para o seu sucesso

Demonstrar humildade e gratidão é uma das melhores formas de desarmar o ciúme dos demais. “Ninguém faz nada sozinho, você precisa da ajuda dos seus colegas, subordinados e chefes para conseguir qualquer coisa”, explica Las Heras. “Deixe claro para essas pessoas que você percebe o impacto do trabalho delas para o seu sucesso profissional, para que não se sintam desvinculadas das suas conquistas”.

2. Peça ajuda

Além de oferecer seu apoio para o trabalho alheio, não se esqueça de também recorrer aos outros para cumprir as suas obrigações: é uma maneira de reconhecer a sua vulnerabilidade e implicar as demais pessoas naquilo que você está fazendo. Essa é uma forma de dissolver a imagem de autossuficiência que muitas vezes acompanha os profissionais que causam inveja. Ao pedir ajuda, diz a professora da IESE, você comunica tacitamente que não é “especial” e que suas vitórias também são acessíveis ao outro.

3. Mostre que você quer melhorar

A inveja provoca um misto de sentimentos contraditórios em quem a experimenta: admiração e respeito se confundem com um desejo de desqualificar o outro e encontrar defeitos que o tornem indigno de suas próprias conquistas. Segundo Las Heras, a melhor resposta é admitir os seus defeitos e estar aberto ao feedback de colegas, chefes e subordinados. Isso aplacará a angústia do invejoso, porque garante que você tem sim suas falhas — e até espera o feedback dele para reduzi-las.

4. Respire fundo

“Quando você é vítima de intrigas ou fofocas espalhadas por invejosos, o estômago geralmente pede vingança”, afirma Gattermayr. É melhor respirar, respirar e respirar de novo: responder um e-mail no calor do momento ou tomar qualquer atitude no auge da irritação trará problemas ainda maiores para você. Se for possível, o ideal é esperar até o dia seguinte para tomar uma providência. Em último caso, vale descer para tomar um café até a raiva passar.

5. Crie uma estratégia para contornar o incidente

Superada a irritação inicial, tente imaginar o que a pessoa espera de você após o “ataque”, e faça exatamente o oposto. Ao reagir de forma inesperada, você mostra ao outro que não está disposto a entrar no seu jogo. É a tática mais eficiente para coibir novas investidas. “Responda com gentileza e simpatia”, diz Gattermayr. “Trate as provocações como piadas, mas não responda com outra piada, porque involuntariamente você vai alfinetá-lo ainda mais”. O ideal é rir, ainda que internamente, da falta de maturidade do outro — e estar disposto a ajudá-lo a superar esse sentimento como for possível.