Você está em:
Postado . Atualizado à

Hiperbole social é resultante da ausência de credibilidade dos poderes constituídos

“A orfandade sentida pela sociedade poderá gerar uma hecatombe social no próximo pleito, caso se legitime o cenário futurístico negativo” (Elenito Elias da Costa).

É fato que os Poderes Constituídos no Brasil padecem de credibilidade e esse descrédito poderá alijar o SISTEMA, caso não sejam tomadas as devidas ações e atitudes que possam repor a crença dos valores e princípios que deveriam inundar os representantes desses poderes.

A sociedade está sendo vitima de P E C’s, Projetos e ações oriundas dos poderes que buscam desesperadamente recuperar a estabilidade econômica, mas essas ações estão vitimando a base da pirâmide, onde existem o maior celeiro de eleitores, e diante dos fatos e exemplos mundiais, isso torna aceitações difíceis de serem aceitas, já que sabemos dos aumentos concedidos á determinados setores em detrimento ao sacrifício imposto a maioria social.

As greves, as ocupações, são demonstrações de decepções sociais junto aos governantes, e a aprovação de Projetos que vitimizam a base da pirâmide poderá levar a uma hecatombe social que eclodirá surpresas inesperadas pela mídia, comentaristas e cientistas políticos.

É inegável que houve ERROS cometidos nos governo passado, mas os motivos e meios empregados pelos responsáveis pela atual governo, na sua composição (Executivo, Legislativo e Judiciário) poderá gerar uma HECATOMBE SOCIAL, motivado pela ausência de credibilidade e de ações criminosas que atropelaram não somente a DEMOCRACIA, mas o SISTEMA.

A CRISE ECONÔMICA, SOCIAL, POLITICA, FINANCEIRA, associada á fatos decepcionantes põe por terra á ideia que a grande massa é manobrável pela mídia, agências, comentaristas e similares, pois quando estão fragilizadas no atendimento aos seus agravos sociais básicos, podem optar por EXAGEROS não controláveis, nem mesmo pela força militar.

A sociedade sabe que foi USADA e se organizada poderá desacreditar todo o SISTEMA, podendo optar por SISTEMAS NÃO CONVENCIONAIS, já que se encontra no fundo do poço e os representantes tais como os partidos, políticos, poderes constituídos são seus algozes e isso está claramente transparente.

É possível que os escravos das colônias sigam o exemplo de seus colonizadores, e se essa afirmativa se concretizar é provável que o cenário futuro seja obviamente uma caixa de surpresa ou de pandora, a exemplo dos seus mentores.

É factível que uma massa sem cidadania, sem emprego, sem exemplo social, sem atendimento para contenção dos seus agravos sociais, com inflação elevada, com juros exorbitantes, sem educação e saúde de qualidade, sem financiamento estudantil, sem previdência, sem projetos ou planos que possam lhe conceder alguma esperança positiva, DEVERÁ RESULTAR num conflito social, hipérbole social, hecatombe social que possam traduzir a sua INSATISFAÇÃO e quiçá poderá alijar o SISTEMA DEMOCRÁTICO QUE A VITIMOU.

Em razão desse raciocínio lógico e tendo em vista o cenário futuro que poderá fragilizar seus direitos sociais em processo de exaustão, o resultado de qualquer pleito a seguir há de ocasionar no mínimo uma OPÇÃO NÃO CONVENCIONAL, que poderá fugir ao pensamento ortodoxo dantes adestrável e domesticável.

Essa leitura, se não for entendida pelos agentes públicos de plantão e tomada ás melhorias que possam minorar os citados sacrifícios, NEM DEUS PODERÁ IMPEDIR o CATACLISMA, CAOS, CATÁSTROFE, que hão de DAR INVEJA ao INFERNO de DANTE ALIGHIERE e ao INFERNO de DAN BROWN.

Na perspectiva da INEXISTÊNCIA de investidores externos, no encolhimento da Economia, na falência de empresas, no acréscimo de desempregados, poderá resultar num índice maior de INSEGURANÇA, e VIOLÊNCIA, que fatalmente induzirá o cidadão a buscar proteção junto ao PODER PARALELO, iniciando um conflito armado com o SISTEMA, e somente agora podemos entender os atuais conflitos bélicos existentes em outros países, quer sejam religiosos, quer sejam econômicos, mas inegavelmente desesperador.

Lamento, mas não posso deixar de assim me expressar em respeito aos meus leitores, familiares, clientes, alunos, orientando, mestrandos, ouvintes de minhas palestras e demais amigos, pois a VERDADE deve ser a tônica de qualquer profissional e educador, diante das incertezas que possam advir de agentes públicos.

Podemos agora entender que a existência de uma riqueza de recursos naturais, a fertilidade do solo, a inexistência de agressões climáticas traumáticas, sociedade pacata, futuro sombrio, educação e saúde em decadência, tudo isso poderá se TRANSFORMAR, pois nos ensinam as escrituras do PÓ AO PÓ, só resultará o PÓ, literalmente falando, e passível de entendimento de conformidade com sua eclética educação e cultura.

“A única palavra constante em nossas vidas é a MUDANÇA”

AUTOR: ELENITO ELIAS DA COSTA, ainda um profissional, pesquisador, educador, escritor e palestrante, mas com esperança positiva na solução desse impasse.