Você está em:
Postado . Atualizado à

Gestão de Carreiras e o Mercado Globalizado

Na Crise Econômica em um Mercado Globalizado a sua CAPACITAÇÃO e QUALIFICAÇÃO profissional se faz necessário para sua manutenção e recolocação profissional no mercado laboral

Estamos vivenciando uma crise econômica que afeta todos os níveis sociais, inclusive as empresas que contratam e buscam contratar os profissionais com perfis mais antenados com suas atividades e obviamente acompanhando de variáveis intrínsecas que possam agregar valor a sua função, seu cargo e sua continuidade do vinculoempregatício.

O mercado laboral e seus mentores denominados de Head Hunters procuram de todas as formas atenderem ao mercado empregatício, mas sua seletividade e exigências devem ser comparadas ao mercado global e nessa comparação observamos na fragilidade do trabalhador brasileiro.

Os fatores que nos instigam a conviver com tamanhas adversidades representam a força contrária que nos condicionam a buscar e a lutar por melhorias que posam equilibrar as regiões e que possam trazer as melhorias derivativas de um planejamento traçado por todos em atingir as melhorias necessárias.

Se houver uma sincronia racional das forças e esforços contingenciais que possam reduzir os agravos das regiões mais sofridas acreditamos que seja esse os ganhos sociais que se registram em determinadas estratégias e que se fortalece com a adesão positiva das massas populacionais.

O BRASIL

Sabemos que o nosso Brasil passa por uma Crise Econômica motivada por diversos fatores, e que também hoje o nosso mercado recebe investimentos de diversas bandeiras, principalmente com os contratos e convênios celebrados com países de culturas diferenciadas, tais como o MERCOSUL e o BRICS.

Todos sabem que o Brasil tem riquezas naturais imensuráveis e apesar da agressividade climática produz alimento natural para o mundo inteiro.

Dividido em cinco regiões é um país continental, com suas variações diversas, desde a política, econômica, social, religiosa e demais, mas que tem suas potencialidades.

As regiões mais carentes são as regiões Norte e Nordeste, e elas agregam o maior número de estamos em conjunto, e que sua adversidade deve ser considerada como oportunidade de investimento com o melhor retorno financeiro do capital investido.

Sabemos que a crise econômica é passageira e aquele que não investir na busca de sua capacitação e qualificação sua recolocação no mercado de trabalho ficará mais complexa, haja vista que o tempo é irreversível e exige um tratamento diferenciado inclusivo com ação proativa para obtenção do sucesso profissional.

O nordestino tem a força de superar quaisquer obstáculos e isso faz dele um profissional de fibra devidamente antenado com os fatos que possam influenciar no seu perfil profissional, e ele sabe da exigência seletiva do mercado de trabalho, que a cada dia se torna altamente competitivo e globalizado.

A REGIÃO NORDESTE

A região nordeste tem nove estados e uma agressão climática que eleva sua temperatura com a natural luz solar, tem uma riqueza incomum de sua vegetação, sua riqueza natural, uma população trabalhadora, mas com níveis educacionais discutíveis, pois o trabalhador nordestino padece de maior capacitação e qualificação profissionais quando comparado com demais trabalhadores globalizados.

Essas adversidades fazem dessa região uma das mais propicia para receber os investidores estrangeiros, pois o seu custo de mão de obra é realmente um dos menores e seu quantitativo populacional se adequa perfeitamente a um mercado em o Capital precisa recompor suas perdas anteriormente sofridas.

Geograficamente os estados da Bahia e do Maranhão são os maiores, mas economicamente segundo os dados estatísticos do IBGE de destacam os estados da Bahia, Pernambuco, Ceará e os demais, todo sem nenhuma exceção tem suas qualidades que podem receber investimentos estrangeiros com a certeza de seu ágio que possa positivar o capital.

Depois de aplicado uma análise SWOT encontrou como PONTO FRACO a qualificação e capacitação profissional da força motriz da PEA da região nordeste, já que suas condições e demais fatores tem registrados sua influência nesse fator.

Em decorrência dessa afirmação a escolaridade focada nas Instituições de Ensino Superior pulverizou essa região, por entender que esse contingente populacional deve agregar a sua força laboral a uma exigência do mercado laboral globalizado que tem seletividade e exigência diferenciada.

Há realmente reconhecíveis esforços das autoridades na busca de proceder a essa mudança qualitativa, mas seus esforços são pífios quando comparados com a exigência do mercado globalizado, mesmo porque para essa finalidade se faz necessário um INVESTIMENTO individual daqueles que pretendem se manter no mercado laboral e buscar agregar valor a sua função e que motive o continuísmos de suas carreiras profissionais.

Os fatores negativos, tais como a crise econômica, a política, o mosquito, o mercado de trabalho, seu clima, e demais passam por oscile ações que merecem um estudo mais prolixo denotam a potencialidade dessa região, pois o nordestino é realmente um bravo lutador.

Acredito que haverá o momento em que as empresas estabelecidas no nordeste brasileiro terão visão global e deverá produzir para a

exportação e quando isso acontecer esse fato exigirá postura qualitativa e diferenciada nas relações laborativas inserindo dentre

outro fatores a necessidade de uma educação de qualidade que possa agregar valor a essas relações.

O sucesso dos profissionais no mercado globalizado depende dentre outras qualidades necessárias ao seu perfil e sua performance

profissional, que agregue os fatores abaixo citados para se mantiver no mercado competitivo:

• Ser ecologicamente correto;

• Ser economicamente viável;

• Ser socialmente justo;

• Ser financeiramente rentável;

• Ser culturalmente aceito;

• Ser legalmente exequível;

• Ser melhorado continuamente.

CONCLUSÃO

O presente artigo não deseja ser o mais completo possível, mas acredito que a busca de uma educação de qualidade na formação dos profissionais deve ser uma constantes nas Instituições de Ensino Superior, e os professores devem acompanhar essa exigência

mercadológica, pois o futuro dos educandos assim o exige.

Devemos entender que a busca de uma educação de tende a formar profissionais que possam atender ao mercado seletivo globalizado e altamente exigente, para que possam dar a resposta que a empresa e o referido mercado esperam.

Lembro ainda que o sucesso depende de diversas variáveis sejam elas intrínsecas e extrínsecas, mas tenhamos todos a absoluta certeza que tudo depende de sua ação nas buscas das melhorias almejadas.

Gostaria de fazer JUSTIÇA e agradecer aquelas Instituições de Ensino Superior e a seus PROFESSORES que trabalham com a busca da QUALIDADE EDUCACIONAL inserida em seu Planejamento Estratégico pois o mercado e os profissionais formados pelas mesmas, devem agradecer, assim como toda a sociedade que vivenciam suas qualidades inseridas em suas atividade laborativas.

Sabemos ainda que muitos farão parte de estatísticas negativas, pois não conseguiram entender o momento ou mesmo por situações outras, mas aqueles que buscarão essa oportunidade lograram o êxito necessário, pois até DEUS ajuda a quem cede madruga.

A busca do sucesso e dos resultados positivos impostos pelas dificuldades de quaisquer Crises Econômicas passa obrigatoriamente

pela qualidade EDUCACIONAL, e toda a sociedade saberá agradecer.

BIBLIOGRAFIA:

a) CONTABILIDADE No.1, Editora Grupo Fortes, Da Costa, Elenito Elias;

b) CONTABILIDADE No.2, Editora Grupo Fortes, Da Costa, Elenito Elias

c) TRANSPARÊNCIA, Editora Grupo Fortes, Da Costa, Elenito Elias e demais;

d) ARTIGOS PUBLICADOS em revistas e sities diversos, DA COSTA, Elenito Elias.

e) PALESTRAS PROFERIDAS, Da Costa, Elenito Elias.

AUTOR: ELENITO ELIAS DA COSTA, contador, auditor, analista econômico e financeiro, assessor empresarial, professor universitário, avaliador do INEP/MEC, pesquisador, escritor, palestrante, mas, somente um nordestino lutador.

CompartilheNas redes sociais
Outras ArtigosDo dia 22 de February de 2016