Você está em:
Postado há . Atualizado há

Contabilidade e análise de custos são vitais para empresas e profissionais

Considerando que a globalização econômica está exigindo dos países uma mudança radical

Considerando que a globalização econômica está exigindo dos países uma mudança radical e consequente adaptação necessária para sua adequação, com a existência de crise econômica que assolam todos os países, já que sabemos que a próxima crise financeira que deverá assolar o mundo será a do dinheiro plástico, ou seja, do Cartão de Crédito, onde negocia dinheiro que nem foi impresso e o transforma em títulos negociáveis em bolsa de valores pelos bancos múltiplos. Estamos vivenciando novos tempos como a crise do Rublo, crise na Europa, quebra de bloqueio (Cuba), Crise na maior empresa do Brasil, crise na maior instituição financeira do Brasil, a democracia sendo dirigida a base da pirâmide para manter sua sustentabilidade e continuidade, a busca de profissionais mais capacitados e qualificados para atender ao mercado de trabalho, com excelência na sua formação, conhecimento em informática, conhecimento de outros idiomas, inclusive dos países do Mercosul e dos BRICS, denotam o nível de exigência para se manter no mercado, seja como investidor, gestor, politico, profissional e demais.

No Brasil temos surpresas que merecem uma maior reflexão, tais como a Economia e seus números, Juros, Inflação, Déficit, Variação Cambial, controle dos gastos públicos, manter os programas sociais e a empregabilidade, elevar a arrecadação e reduzir os custos e despesas, pois só haverá investimentos e continuísmo da manutenção dos programas eleitorais se houver compatível arrecadação, ainda não fazemos milagres, e só há uma receita para o biênio 2015/2016, como consegui entender na entrevista da Jornalista, Miriam Leitão com o nosso o futuro Ministro da Fazenda, Joaquim Levi, que deverá receber um PACOTE e defendê-lo, contendo ações que deve desenvolver no âmbito de sua pasta e demonstrou sem bastante salgado.

Ressalto que toda a indagação a ele dirigida sempre se saiu nas entrelinhas, ou levando em considerações diversas variáveis que podem influenciar o sistema, ou seja, já tem o Planejamento Econômico, que vislumbra o controle de Gastos e Despesas, Inflação, Juros, variação cambial, melhorias da Economia, busca de superávit, politica fiscal que possa embasar os investimentos necessários, positividade do Balanço de pagamentos e demais, sua serenidade nas respostas demonstrada e sua imprecisão nas indagações, demonstram o tamanho do abacaxi, e sua complexidade.

A complexidade e relatividade do PACOTE, deve ainda atender o continuísmo de Obras e Investimentos necessários, tais como, PAC1, PAC2, Energia, Infra Estrutura, Crise da água, e demais, sua robótica apresentação demonstra a sua insensibilidade politica e sociais, o que me deu a entender que se fará tudo quanto possível para atingir no menor espaço de tempo seu objetivo, mesmo quanto a questão seja de responsabilidade de terceiros, no caso da Inflação e Juros, deixando claro que o seu foco tem objetivo único, ou seja, a busca de números que possam satisfazer a Economia, principalmente por ser um técnico.

Não tenho dúvidas que determinadas regiões sentirão com mais evidências seus efeitos, ficou claro que para manter uma Economia estável em tão pouco tempo, se faz necessário privilegiar as Regiões mais satisfatórias, tais como Sudeste, Sul e Centro Oeste, deixando as regiões Norte e Nordeste com sua abundância de necessidade, pois o tempo urge e quão mais rápido sairmos dessa penumbra melhor, mesmo que se faça necessário cortar a própria carne.

No caso em particular a região Nordeste, deverá continuar com sua parcela de investimentos sob rígido controle, o que nos faz refletir sobre as empresas e profissionais, ou seja, sabemos que temos pouco a positivar os números da economia, mas temos oportunidades outras, tais como o Mercosul e o BRICS como alternativa, inclusive conviver com uma politica fiscal e tributária, com custos e despesas que devem impactar determinadas atividades econômicas, inclusive a busca de maior controle interno, transparência e demonstrativos contábeis e financeiros vorazes.

A inexistência de capacitação e qualificação de gestores e profissionais deverão influenciar a sustentabilidade e o continuísmo das atividades econômicas, além de conviver com uma politica fiscal diferenciada.

Não tenho dúvidas que Governos Estaduais e Municipais, na região nordeste deverão conviver com situações bastante inusitadas, pois em tempo de crise Econômica, ás águas só corre para o mar, mesmo sabendo do retorno dos dividendos políticos comprovado.

Eis, um grande fato, que ratifica a busca de uma educação de qualidade para produzir profissionais com excelência, diante de um mercado altamente competitivo, deixará um legado de bolsões de pobreza, para que possa embasar a vitória do Pai dos Pobres no próximo pleito,

Sabemos que a próxima eleição de Prefeitos e Vereadores, forma a base da eleição dos futuros eleitos, e isso fará um diferencial descomunal caso não lhe conceder os méritos devidos, já que sabemos que o programa politico que se positivou foi aquele reconhece os dividendos políticos da base da pirâmide.

Na região nordeste tem o maior número de empresas integrantes do Simples Nacional e equivalentes, deixando claro que a sua sustentabilidade, continuidade e empregabilidade tem sua importância vital para a região, mesmo sendo assistidas por profissionais com limitada capacitação e qualificação, mas existencial e necessária para fazer o diferencial quantitativo em qualquer eleição.

CONTABILIDADE DE CUSTOS

As empresas inseridas na região nordeste devem privilegiar a sua CONTABILIDADE DE CUSTOS em qualquer circunstância, por motivos óbvio e racional se desejarem a busca da sustentabilidade e continuidade de suas atividades econômicas, mesmo porque inexiste empregabilidade para todos e o mais gritante é a certeza de nossas limitações.

Gestores empresariais devem priorizar um melhor controle interno inclusive com a transparência que o sistema tributário exige, sob pena de elevar o ônus pecuniário que podem garfar os resultados positivos almejados.

É um ERRO descomunal, a inexistência de controles internos respaldado em uma contabilidade proba e lícita, embasada em documentação que demonstrem a obediência aos preceitos legais, já não se concebe ações débeis e fúteis que podem ser facilmente identificáveis e originar indébitos tributários e fiscais.

Lembro que diante do atual sistema tributário, mesmo que não seja obrigado a determinadas ao cumprimento de certas obrigações tributárias, não se deve pensar que ficará difícil a sua responsabilização, já que seus clientes e fornecedores são facilmente identificáveis, deixando claro que a comprobatoriedade de sua omissão passa pela identificação de suas transações comerciais.

A existência de Controle de Estoques, Controle de Custos e Despesas, Conciliação bancária, Controle de Disponibilidades, Controle de Cobrança, Controle de Imobilizações Depreciação e Exaustão, Controle de Litígios, Controle de Obrigações Tributárias, Controle de Obrigações Trabalhistas e Sociais, Controle de Fornecedores, Contas a Pagar, Financiamento e Empréstimos, controle de Patrimônio Líquido, sem se descuidar das Pessoas físicas responsáveis, devem ser a grande preocupação dessas empresas, pois já sabemos que o FISCO detém controles sobre grande parte desses agravos, tais como:

  1. Compra, venda, transferência e devolução de Mercadorias e Produtos;
  2. Importações e Exportações;
  3. Conta corrente bancária;
  4. Cartão de Crédito;
  5. Veículos e similares, comprados e/ou vendidos;
  6. Imóveis, comprados e/ou vendidos, doados etc;
  7. Transferência de valores de ou para fora do país (CC 5);
  8. Estoques;
  9. Notas Fiscais Eletrônicas;
  10. Viagens para fora do país;
  11. E demais.

O PCP (Planejamento e Controle da Produção) se tornou parte integrante de qualquer empreendimento industrial, assim como o Controle de Customização e Precificação está para a comercialização e empresas prestadoras de serviços.

Qualquer ação que não seja eivada de seriedade estará propensa a RISCO indesejável, que no atual momento poderá causar ônus pecuniários desgastante.

A CUSTOMIZAÇÃO deverá levar em consideração o Capital investido, seus Juros, sua Inflação, a tributação, o custo de armazenamento, capatazia, custos fixos e variáveis, diretos e indiretos, inclusive outros desembolsos, buscando a identificação do CUSTO ABC até o final da sua qualificação para o mercado.

A PRECIFICAÇÃO deverá ser identificada em três níveis devidamente acrescida da margem desejada, mínimo, médio e desejável, pois deve-se observar sua precificação no mercado e estabelecer suas variáveis, eis o grande calcanhar de Aquiles das pequenas empresas, que vende de modalidade empírica mas no final de cada período não obtém o retorno desejável para repor seu estoque e nesse momento começa o seu calvário, nesse momento se faz necessário decisões importantes como a redução de margens e priorizando a rotatividade dos estoques numa velocidade satisfatória.

ANÁLISE DE CUSTOS

A aplicação de análise deve ser uma constante, desde a aplicação de índices avaliativos, sejam financeiros e econômicos, que possamos ter um feed back conclusivo e cristalino do período examinado quando comparado com o anterior, possibilitando identificar o percentual exato e compara-lo com a Inflação e Juros do momento.

Lembro que nessa fase se faz necessário a contratação de um profissional capacitado e qualificado para tal ação, e que tenha uma identidade profissional comprovada, elaborando um relatório avaliativo do passado e lhe dê algumas sugestões sobre o futuro, já que sabemos que a imprevisibilidade é um fato que não devemos descartar.

A aplicação de um Check List se faz necessário para que possamos manter um nível de controle interno com transparência, mesmo que os resultados não satisfaçam ao Gestor, pois a verdade dos fatos deve ser tratada com profissionalismos, se desejamos filtrar fatos vorazes.

SUGESTÃO

SUGIRO A TODOS OS GESTORES E PROFISSIONAIS ENVOLVIDOS na busca de controles empresariais, que não deixem de LER meus ARTIGOS e LIVROS PUBLICADOS, de fácil obtenção, e free, sem nenhum ônus, e lamento aqueles que não entenderam o teor do referido artigo, mas sabemos que o sistema precisa da inépcia, negligência e imperícia desses seres, pois também alimenta a gula do sistema.

Devemos entender que estamos na Região Nordeste, onde a maior abundância chama-se NECESSIDADE, e se assim não entendermos, faremos parte do quantitativo e não do qualitativo desejado.

CONCLUSÃO

Espero que o referido artigo atinja seu feeling e que proceda o up grade necessários, para enfrentar o biênio(2015/2016), mas sabemos que de nada adianta se não houver a sua conscientização na busca de uma melhor capacitação e qualificação.

Minha singularidade redutora, não demonstra a veracidade dos fatos que indicam maior mobilização na busca de uma performance profissional mais acentuada, sob pena de incorrer em RISCO indesejável.

Lamento, que muitos ficarão pelo caminho, tanto gestores como profissionais, pois o sistema não perdoa os incautos, ou aqueles que não se preparou para o momento pagará seu preço, pois o tempo urge, e muitos sonhos, investimentos e planos ficarão pelo caminho.

Autores: Elenito Elias da Costa e Dra. Lilyann Menezes da Costa.

CompartilheNas redes sociais
Outros ArtigosDo dia 30 de December de 2014