Você está em:
Postado há . Atualizado há

Da operação lava a jato ao juizo final, gestores, executivos, investidores, contadores, auditores, administradores, politicos e partidos politicos

Da gula financeira á mudança de domicílio, do ágio ao deságio, da inconsistência contábil á transparência, do pó ao pó, eis a questão.(O autor)

Independentemente de ser situação ou oposição, é chegado o momento de uma reflexão da gravidade existente nas grandes empresas do Brasil, seus gestores, executivos (CEO, CFO), investidores (financiadores e acionistas), Contadores (empregados ou autônomos), Auditores (internos e Independentes), Administradores, diretos e indiretos, Políticos, e Partidos Políticos, pois a Policia Federal, Ministério Público, CVM, BACEN, CFA, CFC e demais, devem a população brasileira uma explicação no tocante a sua atuação diante desses fatos.

Lembro que a OMISSÃ poderá ser interpretado pela sociedade brasileira como conivência e deixa a atuação dos representantes como no mínimo, estranha.

É lamentável o que está sendo descoberto, mesmo porque sabemos de sua existência há anos e que o sistema é alimentado pelos grandes conglomerados e isso não mudará em nada a metodologia da expertise dos seus mentores.

A busca de mostrar transparência das ações, só demonstram que vivíamos sendo enganados por longo tempo, e isso mostrar com clarividência a CÂNCER social existente.

É possível crer que os órgãos competentes citados, podem e devem se pronunciar sobre o que estão fazendo com os profissionais envolvidos nesse escândalo, e o mais grave, devemos observar:

- Os demonstrativos contábeis e financeiros da empresa MOR e das demais envolvidas nesse escândalo, são assinados por profissionais “competentes e qualificados”¿

- As empresas de auditorias independentes podem sofrer ações indenizatórias, diante dos fatos elencados em processo¿

- Os valores em questão recebidos por essas empresas representam valor significado diante do seu Patrimônio Líquido¿

- As empresas terceirizadas por essas empresas devem merecer o mesmo tratamento inclusive seus gestores e profissionais¿

- Há enganos, tais como, ERRO, DOLO, INCONSISTÊNCIA CONTÁBIL, GESTÃO FRADULENTA E ENRIQUECIMENTO ILICITO e qual real impacto na gestão dessas empresas¿

- Os investidores que detém ações dessas empresas podem entrar com um processo indenizatório contra as Empresas de Contabilidade, e de Auditoria Independente¿

- Deve também os profissionais envolvidos serem objeto de abertura de processo pelos órgãos competentes¿

- Como entender a licitude das Declarações de Imposto de Renda Pessoa Física dos indicados pela SRF do Brasil¿

- Como entender a licitude das Declarações de Imposto de Renda Pessoa Jurídica das empresas envolvidas, inclusive das terceirizadas pela SRF do Brasil¿.

- Havendo indícios de ILICITUDES, qual a posição dos órgãos competentes responsáveis pela a qualificação desses profissionais¿

- Podemos considerar como PIROTECNIA DE MARKETING seus demonstrativos contábeis e financeiros, inclusive seus Planejamentos Empresariais¿

- É justo suas AÇÕES serem passíveis de deságios de imediato¿

- É justo os profissionais envolvidos direta e indiretamente terem seus bens bloqueados¿

- Os valores envolvidos que estão em paraísos fiscais devem ser repatriados¿

- Os políticos e partidos envolvidos devem merecer especial atenção da sociedade eleitoreira e pelos órgãos responsáveis¿

- Somos realmente seres com valores e princípios discutíveis¿

O sistema existente conseguirá a sua assepsia ou continuará o mesmo, já que por convenção acreditamos que o tempo é o melhor remédio.

Desculpe estou simplesmente passando por um devaneio em escrever o referido daí ressalto não devemos pré julgar sem que tenhamos o processo transitado e julgado, partindo da premissa que todos são inocentes até que se prove o contrário.

A reflexão descrita deverá gerar pelo menos uma interrogação nos envolvidos e da sociedade brasileira, pois a insensibilidade é fruto de ausência de valores e princípios que perfaz uma população sensível aos fatos.

Informo que o Instituto ETHOS cita que quem mais corrompe no Brasil é a Saúde e a Construção Civil, e os fatos ratificam essa evidência.

Acredito que os anos a seguir representam importantes profissionais que trabalham com a CONTABILIDADE, AUDITORIA e a PÉRÍCIA, cuja globalização assim exige.

Autor: ELENITO ELIAS DA COSTA, contador, auditor, assessor, escritor e professor universitário, mas, só um ser pensante.

CompartilheNas redes sociais
Outros ArtigosDo dia 18 de November de 2014