Você está em:
Postado há 0000-00-00 00:00:00

Fatores que direcionam a economia brasileira

Após estudos e pesquisas com diversos gestores de grandes empresas (CEO), a PWC publicou fatos que devem nortear o processo decisório no entendimento dos principais gestores.

Após estudos e pesquisas com diversos gestores de grandes empresas (CEO), a PWC publicou fatos que devem nortear o processo decisório no entendimento dos principais gestores. Os fatos levantados devem merecer especial atenção de todos os empreendedores que desejam estabelecer a eficiência do planejamento estratégico em seu negócio, independentemte de qualquer tamanho e que consequentemente tem importancia cristalina para os assesssores, consultores empresariais ou quaisquer profissionais que trabalham para empresas clientes e que desejam fazer a diferença qualitativa de suas funções, junto as suas contratantes.

 

 

Segundo José Sergio Gabrielle, o CEO da Petrobrás, que contribuiu significativamente para o crescimento e desenvolvimento sustentável da maior empresa do Brasil, entende que, “Em momento de crise como o que estamos vivendo, a principal preocupação do gestor é evitar problemas no fluxo de caixa. É preciso viabilizar instrumentos de acompanhamento do fluxo de caixa no curto prazo, pois, como o investimento tem rentabilidade de longo prazo e precisam ser mantidos para que a empresa não perca as oportunidades, a gestão de caixa passa a ser a preocupação principal do CEO. O desafio é viabilizar o máximo possivel de caixa operacional, o que significa reduzir as despesas desnecessárias, antecipar as entradas, e ainda levantar recursos de várias  fontes que permitam manter o caixa acima do minimo. Os mercados de dívidas estão muito mais seletivos. Consequentemente o acesso ao crédito e ás fontes de financiamentos de dívidas está mais dificil. A aversão ao risco se tornou mais determinante como utilizar o excesso de liquidez  em cada setor. Isso faz com que somente os projetos que garantam mais rentabilidade e minimizem os risco seja  beneficiado”.

 

Diante desse contexto e desejando se posicionar em seus planejamentos estratéticos, as empresas de qualquer tamanho, devem ter conhecimento dos fatores que podem obstaculizar a sustentabilidade e continuismo de sua atividade economica, para que possam agregar valor ao seu investimento.

 

Diante desse fato a PWC, estabeleceu depois de avaliados com os maiores CEOs das melhores empresas, chegando a seguinte conclusão:

 

a)      Que fatores são importantes para a aceleração do desenvolvimento ou crescimento sustentável do negócio?

 

1)      Aprimoramento da infra-estrutura;

2)      Diminuição da carga burocrática e normativa;

3)      Redução dos níveis de violência urbana;

4)      Redução da carga tributária para os setores produtivos;

5)      Politica economica previsivel e coerente;

6)      Maior transparencia;

7)      Diminuição das taxas de juros;

8)      Maior disponibilidade de crédito;

9)      Criação de normas claras para setores estratégicos;

10)   Aprimoramento de parceiros públicos-privados;

11)   Redimensionamento do Estado;

12)   A negociação de acordos de comércios bilateriais;

13)   Isenção de impostos para o desenvolvimento de tecnologias ecologicas;

14)   Isenção de impostos para projetos ecológicos realizados em áreas    estratégico especificas;

 

b) Quais as medidas em que os fatores estruturais podem influenciar os investimentos estrangeiros.

 

1)      Transparencia;

2)      Estabilidade do ambiente normativo/legal;

3)      Estabilidade da legislação fiscal;

4)      Estabilidade economica e sustentabilidade;

5)      Ambiente Ético;

6)      Qualidade do ambiente normativo;

7)      Estabilidade social;

8)      Estabilidade politica;

9)      Nível de livre comércio;

10)   Maturidade dos sistemas democraticos(credibilidade);

11)   Conectividade global;

12)   Negociação de acordo de comércio bilaterais.

 

b)      Quais os aspectos que provocam ou encorajam a corrupção.

 

1)      Sistema juridico ineficiente, com o consequente senso de impunidade;

2)      Pouca transparencia;

3)      Excesso de burocracia;

4)      Sistemas educacionais deficientes;

5)      Excesso de regulamentação;

6)      Estrutura do serviço publico e nomeações para o funcionalismo com motivação politica;

7)      Dimensão do Estado;

8)      Estrutura/sistema politico atual;

 

Devemos observar que a  TRANSPARÊNCIA é um item que tem sua importancia e que  deve merecer atenção concentrada dos  CEOs, e diante dessa acertiva podemos concluir que a CONTABILIDADE, através de seus demonstrativos devidamente elaborados por profissionais competentes e qualificados, obviamente devem fazer a diferença.

 

É com bastante preocupação que vejo investimentos aplicados em empresas que lamentavelmente não dispõe de recursos mínimos desejáveis para que possam dar o retorno operacional positivo desses investimentos, o que é bastante preocupante, pois os resultados finais serão bastante identificadores.

 

 

E o mais sério de tudo isso, é que esse fato é de facil comprovação, haja vista que citado investimento mesmo a fundo perdido, ou sendo revestido em ações na empresa, podem ser oferecidos ao mercado e nesse momento poderá haver uma seletividade mais objetiva para a decisão de alocar investimentos na compra dessas ações.

 

Diante desse fato foi identificado quais os fatores que podem gerar vantagem competitiva para a sustentação e crescimento a longo prazo da atividade economica:

 

a)      Acesso e retenção dos principais talentos;

b)      Força da marca e da imagem(marketing);

c)      Inteligência sobre o cliente e o mercado;

d)     Inovação tecnológica;

e)      Qualidade de atendimento ao cliente;

f)       Capacidade de adaptação ás mudanças;

g)      Capacidade para a adaptação de parcerias com negócios bem sucedidos;

h)      Acesso ao Capital;

i)        Gestão eficiente de captação de recursos ou da cadeia de suprimento;

j)        Programas bem estruturados de capacidade social corporativa;

k)      Acesso a recursos naturais disponiveis.

 

No mercado economico brasileiro há sempre os gestores que buscam utilizar o capital de risco que devem demonstrar maior competência a seus investidores, se realmente desejam a sustentabilidade e continuismo do empreendimento, e há tambem a queles que desejam aproveitar o momento dispor de uma vida mais saudável, em ambos a transparência de suas  ações ou atos devem nortear sua vida, dependendo dos valores individuais que o legitima.

 

O mais importante é saber que o investimento aplicado no mercado economico, sempre retorna ao lugar de origem de modalidade direta ou indireta, deixando no caminho os sonhos que podem agregar riquezas ou decepções em seu fluxo.

 

Em sincronia racional com o titulo do presente artigo, podemos informar que os gestores das empresas (CEOs) devem levar em consideração os temas citados se desejam navegar em águas brandas, mas tambem devem saber que as oportunidades de qualquer investimento é uma operação de alto risco, o que não devem se esquecer da imprevisibilidade.

                                           

 

ELENITO ELIAS DA COSTA

Contador, Auditor, Analista Econômico Financeiro, assessor e consultor empresarial, Instrutor de Cursos do SEBRAE/CDL/CRC, Professor Universitário, Professor Universitário Avaliador do MEC/INEP do Curso de Bacharelado em Ciências Contábeis, sócio da empresa, Irmãos Empreendimentos Contábeis S/C Ltda, consultor do Portal da Classe Contábil, Revista Contábil Netlegis, articulista da Interfisco, autor de artigos publicados no Instituto de Contabilidade do Brasil, CRCBA, CRCPR, CRCMS, CRCRO, IBRACON (Boletim No. 320), CTOC-Portugal, autor de livros editados.

 

CompartilheNas redes sociais
Outros ArtigosDo dia 17 de September de 2009